sexta-feira, 30 de junho de 2017


É tão difícil se manter arrogante;
Então porque isso soa tão importante?

Você sempre fere alguém,
Quando está ferido.

Quanta dor,
Que desperdício.

E eu ainda a pensar,
A cabeça diz que não vai aguentar,
O corpo começa a reclamar,
Até os olhos se reviram por esta forma de rimar.

Era noite,
Mas começou a tarde,

Advindo das coisas da manhã.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

quando eu morrer

Não,
não consigo gostar que venha me ver.
Penso que seria melhor
se o fizesse só quando eu morrer.
Ao menos nessa ocasião,
saberei o que vai dizer,
e isso não vai nos ferir.
Quando eu morrer,
serei o perfeito caso perdido,
alguém muito bom,
um pouco esquisito.
Sem mais obrigações,
que acabariam comigo.
Quase aceitarás o meu não
e o meu "é impossível.
Quando eu morrer,
falará coisas boas sobre mim,
e irá jurar que me ajudaria
em tudo o que eu precisasse.
Essa ideia é agridoce,
fico feliz por imagina-la,
sua companhia seria valorosa,
infinitamente valiosa;

mas irreal.
Hoje,
sei que sua vinda,
me traria ordens de melhora,
um anseio pelo meu bem estar,
palavras rápidas,
e tom casual.

Uma presença pontual.
Hoje eu não sei melhorar,
e sinto muito por isso amigo,
pois sua visita,

evidencia minhas falhas,
seus olhar me condena,

vivemos um dilema
existe a pena,

 e tu mesmo querendo,
não conseguiria ajudar.
Se eu morrer,
venha me ver,
ou não venha,

o mundo girará 
quando eu morrer

sábado, 24 de junho de 2017

Esse é um mundo?

Olhos se fecharam,
uma recusa a deixar
que o corpo possa sentir.
protestos tolos,
esse é o mundo que é meu.

Recusei a luz;
havia claridade,
mas nada gerava contraste,
sem sombras
sem corpos exercendo presença,
esse é o mundo que é meu.

Cumprimentos e falas calorosas,
olhares e expressões,
sequencias de atos,
espaçados e perpetuados ao longo do dia
Rotina tola.
Mas que sempre foi minha,
Esse é o mundo que é meu.

Palavras impressas,
cores em uma tela,
fotos e memorias.
A noite se foi, (e o dia continua a ir,)
não lembro de ter visto estrelas.
(Novamente )observo a ida do sol a oeste,
anseio pelo brilho de Vênus, (que não virá)
Esse é o mundo que é meu.

Rasguei a folha do calendário,
não desejo ansiar por mais nenhuma data.
Meu segredo reside na ignorância,
ser surpreendido por boas noticias...
mas até isso é tolo.
a esperança alimenta,
o desejo de Desejar.
não há o que ser feito
Esse é o mundo que é meu.

O tempo passa,
isso é algo imutável.
dentro de minha  mente,
A percepção já abusa
de um humor questionável;
As horas pareceram dias,
mas muito bem vividos.
Agora esses dias são meses,
que se arrastam, que me arrastam...
Mas esse, é o mundo que é meu.

Tudo o que houve,
é um ponto fixo,
pra sempre ecoando,
nessa realidade.
no passado estou cercado,
no passado sou bravo,
tenho companhia,
companheiros e alegria.
O passado me alegra,
mas existe dor na nostalgia.
Esse é o mundo que é meu.

O presente é intimidante
mas me deste uma promessa
para guardar no coração.
Saudade agora é matéria prima,
teu azul é o que alimenta minha rima,
a voz rouca do desejo,
arranha meu ouvido.
A promessa do futuro,
me finca no presente.
Me preparo para a busca do riso,
meu desejo de conhecer
muito mais do que já julgo ter visto,
Esse Meu mundo é teu.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Eu não estou longe Continuo ai, perto de você Com você Eu não vou te deixar Nunca vou te abandonar Estou longe, mas vou voltar Te abraçar Te olhar Me encantar Minhas promessas não vão se perder Vão te encontrar Vou te tocar, te beijar Quero vê teu sorriso Acompanhar teu riso Pra mim sentir vivo

O Sorriso de Venus

Em um momento estive em viagem caótica,
(em direção a) disposto a encontrar o fim do universo,
e de repente e me vi atraído por uma orbita completamente nova,
astros imponentes me olharam, desafiaram, pude pro algum motivo provar meu valor...
Vênus me sorriu..
fui convidado a cruzar um novo espaço,
traçar novas rotas...
ansiar pelos alinhamentos...
e reger um novo universo

Declamação - Fix You - Coldplay - Voz Bruno Trajano

SILENCIO - Bruno Trajano

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Houve um dia,
de duração incerta,
ansiado e previsto,
temido, mas muito bem quisto.

Houve o dia,
em que Vênus se alinhou
aos outros corredores celestes.

era o dia previsto em sonhos,
discutido entre

sábado, 10 de junho de 2017

Musa

Escreve,
Estamos juntos mais uma vez,
então escreve.
Sopro ao teu ouvido e te digo:
escreve.
Digo-te o que sinto,
o que sentes,
o que pensas...
então escreve.
Mais uma vez te alcanço,
mesmo que não seja uma boa hora,
mas nunca se é má hora,
tu mesmo diz,
quando é verdadeiro
o que se sente
e o que escrevemos.
Mas não penses que faço de ti um escravo,
Afinal,
apenas lhe ajudo,
naquilo que já é próprio de ti;
Pois no fim sou tua,
E não tu és meu;
Pois no fim sou inspiração,
E tu escritor.


Bruno P. Trajano

segunda-feira, 5 de junho de 2017

[1]
Continuamos mentindo
apenas continuamos a fazer.
Conjugamos todos os verbos,
acertamos todas as letras.
Recolocamos todas as virgulas.
Não pecamos pelo excesso,
A falta é nosso crime.

[2]
Continuamos a sentir medo?
ou mentimos até sobre os motivos?

[3]
O que é feito é necessário;
é só assim que conseguirá levantar.
Não existem muitas opções afinal.
Convencer a si mesmo é o primeiro passo;
a verdade é só uma questão de memorização.
Repita até que se lembre por reflexo,
os músculos aprendem rápido.

[1]
Fingir vai mesmo nos levar até o fim?
ou é um fim que nos encontrará no caminho?
o mesmo sol brilha sob diversas cabeças,
e dentro delas mundos colidem,
a luz que é guia,
também pode cegar.
Não te incomoda o risco de ficarmos pelo caminho?

[2]
Esse mundo já mudou?
Ele ainda pode mudar?

[3]
Ansiamos que a realidade se altere ao nosso redor.
Mas isso é sucumbir ao desespero vindo da dor.
Todos os inimigos acabarão batendo a porta.
A noite já foi antagonista,
Agora luta até contra o astro que queima...
Esperar não levará adiante,
Não esqueça: teu mundo é teu.

[1]
Sorrisos repetitivos,
uma maquina de acenar.
Viver é diferente de existir.
Omitir leva a resultados piores.
Somos consequências de erros anteriores,
dos quais nunca voltaremos para corrigir,
Presos a regra de em frente, sempre, seguir.

[2]
Preso, estagnado,
Livre, despreocupado.


Viver é buscar,
Existir é ser procurado.